A bioimpressão avançou rapidamente nos últimos anos e com esses desenvolvimentos, as células vivas podem ser posicionadas camada por camada para produzir estruturas funcionais de tecidos.

Os principais atributos dessa tecnologia emergente são: sua reprodutibilidade e customização de estruturas biológicas complexas, que permitem a fabricação automatizada de uma ampla variedade de tecidos. Esses recursos de biofabricação de alto rendimento, equipam as empresas com ferramentas para desenvolver tecidos biompressos em 3D com amplas aplicações, desde modelos de testes de drogas in vitro a implantes de tecidos terapêuticos, até transplantes de órgãos em um futuro "próximo".

A geração de biomodelos relevantes de tumor 3D in vitro apresenta muitos desafios, mas eles são cada vez mais reconhecidos como uma das melhores plataformas pré-clínicas de rastreamento de drogas e um método aprimorado para estudar o câncer em condições controladas em laboratório, devido ao seu enorme potencial de recapitular as características tridimensionais e fisiológicas adequadas dos tecidos tumorais humanos.

Saiba mais na matéria do blog - clique aqui!

 Uso da Bioimpressão a Curto prazo (1 - 5 anos)

  • Desenvolvimento software e hardware (hoje)

    • Grande potencial no desenvolvimento de novos bioprocessos:​​

      • Software 

      • Hardware

      • Alta viabilidade​

      • Escalabilidade

      • Reprodutibilidade

      • IA 

  • Hidrogéis (hoje)

    • Desenvolvimento de hidrogéis biocompatíveis, estáveis e com reologia otimizada para o processo de deposição.

    • Estudos de novas formulações 

    • Estudos da reologia dos materiais

    • Otimização de calibrações do processo

  • Carne bioimpressa

    (hoje)

    • Carne bioimpressa com base proteica biofabricada em laboratório

    • ​Carne bioimpressa com base proteica vegetal​

    • Carne bioimpressa com base proteica animal 

  • Educação, capacitação e Treinamento

    • Tecidos e órgãos bioimpressos para Formação de profissionais da saúde

    • Treinamento cirúrgico

    • Tecidos e órgãos como biomodelos "naturais" para o ensino. 

Modelo dérmico 3D

(Há vários projetos em andamento) 

  • Modelos bioimpressos podem mimetizam funções da pele para testes de cosméticos

  • Alta reprodutibilidade

  • Automatização e precisão na deposição de células e biomoléculas.

São Paulo possui a Lei  Lei Estadual 15.316/2014, que proíbe a utilização de animais para desenvolvimento, experimentos e testes de produtos cosméticos, higiene pessoal, perfumes, e seus componentes. Assim, o uso de métodos alternativos, como a bioimpressão, se faz necessário. 

Modelagem de doenças 3D e testes de drogas

  • Desenvolvimento automatizado  do tecido 3D

  • Modelagem da fisiopatologia da doença para testes farmacológicos

  • Avaliação farmacológica da terapia

  • Liberação controlada de fármacos em modelos bioimpressos

  • Método alternativo em potencial para minimização do uso de animais nos testes farmacológicos

Tratamento Veterinário

  • Bioimpressão de modelos 3D para substituição de tecidos comprometidos. 

  • Liberação controlada de fármacos por meio de modelos bioimpressos

 Uso da Bioimpressão a Médio prazo - 5-10 anos

Uso da Bioimpressão a Longo prazo

Tratamento 

  • Substituição de segmentos de tecidos funcionais.  

Transplante de Órgãos

  • Bioimpressão de órgãos funcionais para a substituição total de órgãos comprometidos ou perdidos por doenças e traumas. 

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • instagram
  • facebook
  • Branca ícone do YouTube

BioEdTech - CNPJ 32.782.239/0001-57

Polo físico: STATE/SP

Contato: suporte@bioedtech.com.brchat no site

©2020 by BioEdTech - Todos direitos reservados